Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão encerra o mês da consciência negra no Campus de Marabá


A lei 10639/2003 incluiu no currículo oficial de toda a rede de ensino brasileira, a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira" e também definiu o dia 20 de novembro como "Dia Nacional da Consciência Negra", esta legislação foi considerada um marco na busca pela igualdade racial no País. Neste mês de novembro, marcando as lutas sociais da população afro-brasileira, o Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Relações Étnico-Raciais, Movimentos Sociais e Educação - N'umbuntu, do Campus da UFPA em Marabá, promove uma série e ações voltadas ao conhecimento da cultura e história negra, além de discutir sobre os rumos do ensino desta temática nas escolas. É o I Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão “Consciência Negra para Valer”, Curso de Extensão Iniciativas Negras regional: Trocando Experiências.
Do dia 30 de novembro a 01 de dezembro, no Campus universitário de Marabá, o N'UMBUNTU realizará atividades em parceria com a Universidade Federal do Ceará, mais especificamente com o N’blac, um núcleo ligado a UFC, que organiza o Curso de Extensão em Iniciativas Negras, reunindo ativistas do movimento negro em âmbito nacional com o objetivo de trocar experiências, participar de oficinas, assistir aulas e refletir sobre as questões ligadas ao debate contemporâneo sobre relações raciais e anti-racismo.
Programação - O curso do N’blac acontece a cada dois anos, mas neste entremeio o grupo realiza parcerias por todo o Brasil, este ano o N’umbuntu foi convidado a integrar esse movimento. O coordenador do Grupo da UFPA, Ivan Costa Lima, adiantou que a programação incluirá debates, mesas, palestras, conferências, oficinas, exposições fotográficas. Também foram planejadas diversas oficinas, com as de bonecas negras, de DJ, de estêncil em camisetas, trançados, entre outras.
Além dos ministrantes do campus e Marabá e da Universidade do Ceará foi convidada a pedagoga Jeruse Romão, de Santa Catarina, para discutir sobre a lei 10639/2003 e como trabalhá-la no espaço da escola. Outra convidada será a coordenadora do N’blac, a socióloga Joselina da Silva, que vai discutir a questão do pensamento social brasileiro e as relações raciais. Para Ivan Lima, o objetivo é discutir como esse pensamento acaba fazendo com que a sociedade continue vivenciando desigualdades entre negros e brancos.
Visibilidade - As atividades do grupo N’umbuntu se desenvolveram e estão ganhando cada vez mais visibilidade dentro da UFPA e na da cidade de Marabá, aja vista que o Núcleo de Pesquisas já foi convidado pela prefeitura do município para participar de várias atividades de formação de professores, ampliando o debate nas escolas.
“O grupo recebeu até mesmo a proposta do Curso de Geologia para desenvolver alguma atividade que contemple essas questões raciais. E esse é o objetivo do N’umbuntu, a discussão plena, a abrangência do tema dentro e fora da Universidade”, afirmou Ivan Lima.

Texto: Yuri Coelho – Assessoria de Comunicação
Fotos: Alexandre Moraes e reprodução Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário