Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Prefeitura de São Miguel do Guamá promove formação de professores sobre educação quilombola


EDUCAÇÃO ESCOLAR QUILOMBOLA E CURRÍCULO DE ENSINO: CONTEXTUALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO DAS ESPECIFICIDADES IDENTITÁRIAS, HISTÓRICAS E CULTURAIS.


A Secretaria Municipal de Educação de São Miguel do Guamá - Pará, representada na Coordenação Pedagógica da Educação Escolar Quilombola, vem por meio do presente convidar você professor ou professora que exerce a digna profissão de educar nas Instituições de Ensino inseridas nas comunidades de Território Quilombola ou de Escolas que recebem alunos oriundos dessas localidades para participar deste evento que será inédito e de suma importânciapara o êxito da prática pedagógica mediante tais especificidades no processo ensino aprendizagem.

PÚBLICO ALVO:
E.M.EF: São Miguel Arcanjo;
E.M.E.F: São Luíz;
E.M.E.I: Ângelo Nogueira de Lima;
E.M.E.F: José Cupertino de Almeida;
E.M.E.F: Manoel Paulo da Silva;
E.M.E.I: Sonho de Criança;
E.M.E.F: Isaias Gil de Oliveira;
E.M.E.I: Domingas Conceição Gomes;
Professores das disciplinas específicas de História, Artes e Literatura, oriundos das Matrizes de Ensino que recebem alunos das comunidades Quilombolas.

Data: 27 de fevereiro de 2015
Início: às 7:00 h e 30 min
Local: Auditório da 5ª Regional de Saúde em frente ao Largo de Nazaré.
Término: às 17:00h

Incentivo à igualdade premia duas escolas

NO PARÁ: Projetos envolvem alunos de Tracuateua e da Escola de Aplicação da UFPA

Reforço à cultura afro-brasileira é uma das iniciativas para estimular autoestimaReforço à cultura afro-brasileira é uma das iniciativas para estimular autoestima
O Pará teve duas escolas públicas premiadas a partir de propostas de incentivo à igualdade racial no ambiente escolar, através do edital  “Gestão Escolar para Equidade - Juventude Negra”. A Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio Odilon Holanda Pontes, no município de Tracuateua, nordeste do Estado, em parceria com a Associação Remanescentes Quilombolas do Cigano; assim como a Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará tiveram seus projetos aprovados e deverão desenvolvê-los ao longo deste ano. Ambas terão até R$ 30 mil de financiamento e apoio técnico para alcançar seus objetivos.
Distante cerca de 183 km de Belém, o município de Tracuateua, tem oito comunidades quilombolas. A escola Odilon Holanda Pontes atende crianças e jovens remanescentes de uma dessas comunidades e já desenvolvia atividades voltadas à preservação da cultura afro. A professora Keila Saldanha, coordenadora do projeto aprovado, diz que atualmente a escola está em fase de sincronização do cronograma do projeto ao da escola, cuja as aulas começam no início do próximo mês.
A professora é da própria comunidade quilombola e explica o que a encorajou a inscrever o projeto. “Aqui no município, a presença negra é muito forte, então já desenvolvíamos várias atividades voltadas para a história, cultura e identidade negra. Mesmo assim, percebi que os nossos jovens tinham dificuldade de se aceitarem como negros quilombolas. Via que as meninas negras não costumavam se olhar muito no espelho. Isso tudo me preocupou muito. Foi quando chegou a oportunidade do edital, que caiu em cima justamente do que a gente já trabalhava aqui na escola. Não pensei duas vezes e fiz o projeto”, ressaltou Keila Saldanha.

Fonte: Jornal O Libera

Dia do Calouro Africano na UFPA

Programação:
Dia do Calouro Africano
03 de março de 2015


Inscrição e Credenciamento
8:00 às 9:00 horas.
Local: Laboratório de Antropologia.

Recepção dos Calouros
9:00 às 10:30 horas.
Local: Laboratório de Antropologia.
Conferencistas:
Prof. Msc. Flavio Sindrin Nassar – Pró-Reitor de Relações Internacionais da UFPA.
Prof. Dr. Hilton Pereira da Silva – Coordenador da Casa de Estudos Brasil-África/UFPA.
Prof. Msc. Raimundo Jorge Nascimento de Jesus – Coordenador da Cátedra Brasil-África/UFPA.
Apolinário Alves Filho – Pesquisador do Grupo de Estudo Afro-Amazônico GEAM/UFPA.

Apresentação do Serviço Psicoeducacional do DAIE/PROEX
14:30 às 15:30 horas.
Local: Laboratório de Antropologia.
Expositor: Ana Clotildes Colares Gomes – Diretora de Apoio Estudantil
DAIE/PROEX.

Apresentação do Site da Casa de Estudos Brasil-África
16:00 horas
Local: Laboratório de Antropologia.

Coquetel
16:30 horas.
Local: Laboratório de Antropologia.

Universidade Federal do Pará
Rua Augusto Corrêa, 01 - Guamá. CEP 66075-110.
Belém - Pará - Brasil 


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Livro aborda influência da cultura africana

Livro aborda influência da cultura africana (Foto: Divulgação)
Livro mostra como a cultura africana influencia estampas e cores no vestuário brasileiro (Foto: Divulgação)

Resultado de uma herança que remonta à época colonial, a influência da cultura africana está presente nas cores e nos desenhos estampados no vestuário dos brasileiros. O tema é abordado, de forma inédita, no livro O africano que existe em nós, brasileiros, de autoria da designer de moda Julia Vidal, lançado nesta semana, no Rio de Janeiro.