Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A 1ª Conferencia Territorial da Juventude do Baixo Tocantins

APRESENTAÇÃO

A 1ª Conferencia Territorial da Juventude do Baixo Tocantins é um momento de expectativa e um espaço plural e democrático onde iremos discutir proposta de politicas publicas voltada para os jovens e o desenvolvimento da região.
A Conferencia tem como tema “Juventude e desenvolvimento territorial” e busca primar pela qualidade, pela garantia do processo democrático, pelo respeito à autonomia federativa, pela pluralidade e representatividade dos seguimentos sociais, dentro de uma visão ampla sistêmica da questões relacionadas a juventude.
Sua realização será no município de Baião e contará com cerca de 150 jovens de diversos seguimentos sociais a região.

OBJETIVO
  • Promover, qualificar e garantir a participação da sociedade, em especial dos jovens, na formulação do controle de politicas publicas de juventude;
  • Divulgar, debater e avaliar os parâmetros e as diretrizes da politica nacional de juventude;
  • Mobilizar a sociedade e os meios de comunicação para a importância daspoliticas de juventude para o desenvolvimento do país;
  • Tirar proposta de politicas voltada para os jovens da regiãodo baixo Tocantins
  • para conferencia estadual;
  • Fazer com que os jovens da região posam defender diretrizes para o fortalecimento da região.

    REALIZAÇÃO
MIN. DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO
SEC. DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DELEGACIA FEDERAL DO DESENVOLVIMENTO AGRARIO - PARÁ
SEC. MUN. DE JUVENTUDE DA PREF. DE BAIÃO
COORD. DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE JUVENTUDE DA PREF. DE IGARAPE-MIRI.

Apoio: Projeto Sócio - Cultural Filhos do Quilombo 

Contatos: 91-92115822 ou 91-91989243
Visite: http://quilomboafricaelaranjituba.blogspot.com

Email: rm_mojuense@yahoo.com.br

Seja padrinho dessa causa, deposite qualquer valor na:
Banco Santander

Conta corrente 01-011330-9. Agência 3524
Ou Poupança 60-004009-3. Agencia 3524
Em nome Claudia Suely Santa Rosa/Projeto Sócio-Cultural Filhos do Quilombo

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Seminário de Reflexão e Memória da Cultura Afrobrasileira

O Ano Internacional dos Afrodescendentes e a Resistência Política dos Negros no Brasil de Zumbi dos Palmares a Abdias Nascimento

O Seminário de Reflexão e Memória da Cultura Afrobrasileira, que será realizado na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) entre os dias 08 e 09 de novembro de 2011, terá como tema “O Ano Internacional dos Afrodescendentes e a Resistência Política dos Negros no Brasil de Zumbi dos Palmares a Abdias Nascimento”.
A proposta é visibilizar e discutir os processos intrinsecamente ligados às lutas históricas empreendidas pelas populações negras nas Diásporas Africanas, bem como nos diferentes espaços da sociedade brasileira.
A escolha dessa temática como eixo norteador dos debates busca não apenas resgatar o passado histórico, mas compreender a atual conjuntura brasileira, na qual os movimentos negros, em suas distintas vertentes, reivindicam e acentuam o incremento de mecanismos jurídico-políticos de constituição material de direitos, tais como a elaboração e implementação da Lei n.º 10.639 e suas Diretrizes Curriculares, de Políticas de Ações Afirmativas, do Estatuto da Igualdade Racial e do Projeto de Cotas para Negros nas Universidades pelo Congresso Nacional.
Esses acontecimentos revelam a urgência de serem ampliados os campos das discussões, bem como a produção de conhecimentos sobre as populações negras não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.
A referência expressa à Zumbi dos Palmares e Abdias Nascimento não pretende esgotar a resistência negra à experiência empreendida pelos dois, ao contrário, ao evocá-los busca-se lançar luzes a tantos outros negros e negras que fizeram de suas vidas um exercício de afirmação e enfrentamento.


Maiores informações (clique aqui)

ALMEIRIM RECEBE O PROGRAMA AFRO PARÁ

 
O ano de 2011 foi adotado pela ONU - Organização das Nações Unidas - como o Ano Internacional dos Afrodescendentes.
É o reconhecimento da grande contribuição dos povos originários do continente africano para a cultura mundial e uma oportunidade a mais para se combater a discriminação racial e o racismo.
A Coordenadoria de Educação para a Promoção da Igualde Racial – COPIR – promove o projeto Afro-Pará, que visa proporcionar a formação continuada de professores para a educação das relações étnico-raciais e o ensino de história da África, conforme demanda da LDB – Lei de Diretrizes Básicas , alterada pela Lei nº 10.639/03 que torna obrigatória a temática História e Cultura Africana e Afro-Brasileira no âmbito do currículo da Educação Básica.
O Afro-Pará vai atuar em seis municípios paraenses: Almerim, Prainha, Novo Progresso, Chaves, Afuá e Itaituba. O curso está dividido em dois módulos de 60h/cada, perfazendo um total de 120 horas.
O Projeto original tinha como meta formar profissionais de educação da rede pública estadual, no entanto, em Almeirim, o Governo Para Todos aderiu ao Programa e parte dos professores da rede municipal participou para adequar-se as novas orientações curriculares e obter competência no ensino do conteúdo da Lei 10.639/03.
O primeiro módulo foi ministrado no município, no período de 12 a 17 de setembro e o segundo módulo será no mês de novembro.
 

Pronunciamento da ministra Luiza Bairros na Reunião de Alto Nível pelos 10 Anos de Durban

Primeiro de tudo, tenho a honra de ser dada a oportunidade para destacar a importância do Brasil sempre anexado ao processo de Durban. Ouso dizer que o Brasil vai além da declaração final a ser adotada neste encontro para reafirmar a Declaração de Durban e Programa de Ação, o Documento Final da Conferência de Revisão de 2009 e nosso compromisso com a sua implementação plena e eficaz.
Dez anos depois, a reafirmação de princípios Durban's significa que a nossa principal preocupação tem a ver com o futuro, com a nossa capacidade política para transformar as iniciativas da última década em conquistas reais para a igualdade racial. O futuro próximo nos desafia todos para avaliar a resistência e as complexidades de racismo, porque, apesar de nossos melhores esforços, ele recriou-se como um conjunto de idéias e práticas desumanas que continuamente afetam a vida de milhões de pessoas no mundo. 

CEAO lança site que reúne textos em jornais do século XX

Ceao
Já está no ar a mais nova produção do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO). Trata-se do site "O negro na imprensa baiana do século XX". Nele estão catalogadas mais de 1.400 matérias de 13 jornais da primeira década do século passado (Jornal de Notícias, Correio de Notícias, A Bahia, A Coisa, Diário de Notícias, A Ordem, Foia dos Roceros, O Estímulo, Correio do Brasil, Gazeta do Povo, Correio da Tarde, Correio de Alagoinhas e O Serrinhense). 
As notícias expressam aspectos da vida social da população afro-brasileira, das manifestações culturais às entidades políticas. "O negro na imprensa baiana do século XX" é mais uma fonte de consulta para os pesquisadores e o público em geral. De modo organizado, podem encontrar informações, retratadas por jornais da época, que contribuam para as produções dos estudos afro-brasileiros. A pesquisa contou com o apoio do CADCT (Fapesb) e do CNPq e teve a coordenação do professor do Departamento de Antropologia da UFBA Jocélio Teles dos Santos.

Acesse e divulgue: www.negronaimprensa.ceao.ufba.br

Morre queniana Wangari Maathai, Prêmio Nobel da Paz em 2004

Wangari Maathai, em foto de arquivo de março de 2010. (Foto: Reuters)
Wangari Maathai, em foto de arquivo de março de
2010. (Foto: Reuters)
A ambientalista queniana Wangari Maathai, Prêmio Nobel da Paz em 2004, morreu neste domingo (25), anunciou nesta segunda-feira (26) o Movimento Cinturão Verde, organização que ela fundou há mais de 30 anos.
“Com imensa tristeza, a família de Wangari Maathai anuncia seu falecimento, ocorrido em 25 de setembro de 2011, depois de uma grande e valente luta contra o câncer”, diz a organização em sua página na internet.
Segundo as agências internacionais de notícias, Wangari Maathai, de 71 anos, morreu no Hospital em Nairobi, no Quênia.
Maathai fez campanha pelos direitos humanos e capacitação das pessoas mais pobres da África. Em 2004, ela recebeu o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para promover o desenvolvimento sustentável, democracia e paz. Foi a primeira mulher africana a levar o prêmio.
saiba mais
Bióloga, mãe de três filhos, Wangari Maathai foi presa e ameaçada de morte por lutar pela democracia no Quênia. Nas primeiras eleições livres de seu país, foi eleita para o Parlamento e tornou-se ministra assistente do Meio Ambiente.
 
Fonte: G1, com informações das agências de notícias France Presse e Reuters

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Seppir retifica prazos da Chamada Pública de Projetos

De acordo com o novo calendário, a comissão avaliadora deverá finalizar o processo no dia 05 de outubro
 A Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir-PR) torna pública a retificação de prazos da Chamada Pública nº 02/2011, voltada para a seleção de projetos que visem à realização de eventos alusivos ao Dia Nacional da Consciência Negra, o 20 de Novembro. A alteração está regulamentada pela Portaria N° 114, de 20 de setembro de 2011, disponível no site da Seppir.

Data limite para finalização do processo por parte da Comissão Avaliadora
05/10/2011
Data para publicação do resultado da seleção de propostas no Diário Oficial da União
07/10/2011
Prazo limite para recursos e impugnações
11/10/2011
Divulgação provável do resultado final do certame
14/10/2011

Apoio financeiro
Órgãos ou entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos concorrem a repasses de até R$100 mil para a realização de eventos alusivos ao Dia Nacional da Consciência Negra, o 20 de Novembro. A inscrição de propostas foi acatada até 04 de setembro. O apoio aos selecionados será garantido por convênio ou termo de cooperação técnica a ser firmado com a Seppir. O processo seletivo tem base na Chamada Pública 02/2011, divulgada no Diário Oficial da União do dia 12 de agosto.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Correios aderem à campanha Igualdade Racial é pra Valer

Campanha da Seppir convoca a sociedade a incorporar o movimento pelo fim do racismo no Brasil

 Correios aderem à campanha Igualdade Racial é pra ValerNas próximas semanas, todas as agências dos Correios terão cartazes da campanha Igualdade Racial é pra Valer. A estratégia de divulgação faz parte de um amplo acordo de cooperação técnica, que a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) assinará terça-feira (27), às 15h, com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). A parceria visa à implementação de ações conjuntas que assegurem a adesão da ECT à campanha.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ONU promove o debate do combate ao racismo e discriminação racial

A reunião do 10º Aniversário da Declaração e do Plano de Ação de Durban será transmitida ao vivo pelo site www.un.org/webcast

A Organização das Nações Unidas (ONU) vai reunir nesta quinta-feira (22), em Nova York, líderes de todo o mundo para reforçar o compromisso dos países com o enfrentamento do racismo e da desigualdade racial. A reunião ocorre no âmbito do Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes e marca a comemoração do 10º Aniversário da Declaração e do Plano de Ação de Durban.   
Serviço:
O que: Lançamento da 2ª Edição do Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras.
Onde: Auditório Gilberto Freyre no Palácio da Cultura Gustavo Capanema (Rua da Imprensa, 16 – Centro Rio de Janeiro)
Horário: 18h
Mais informações:
www.premioafro.org e www.palmares.gov.br
Organização: Fundação Cultural Palmares
Realização: Fundação Cultural Palmares e Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves
Apoio: Petrobras

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Conceição do Araguaia recebe exposição sobre a África

Em comemoração ao Ano Internacional dos Afrodescendentes, promovido pela ONU, a Coordenadoria de Educação para a Promoção da Igualdade Racial (Copir) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) apresenta a exposição "África: Olhares Curiosos" que reúne um conjunto de fotografias de Guiné-Bissau, Senegal, Marrocos e África do Sul do fotógrafo Hilton Silva, que também é pesquisador e professor da UFPA .
O objetivo desta ação é contribuir na mudança de impressões correntes sobre a África e as populações africanas e afrodescendentes, chamando a atenção para a importância do reconhecimento da diversidade étnico-racial global, regional e local nas relações sociais, proporcionando aos docentes e alunos informações estratégicas para o combate ao racismo e à discriminação racial.
Em Conceição do Araguaia a exposição vai funcionar aberta ao público em geral na escola estadual Profª Bráulia Gurjão, de 21 de setembro a 07 de outubro, nos turnos da manhã, tarde e noite.

xxx SERVIÇO xxx
África: Olhares Curiosos
21 de setembro a 07 de outubro de 2011
EEEFM Profª Bráulia Gurjão
Endereço: Av Intendente Norberto Lima, 771, Centro.
Conceição do Araguaia - PA
Contatos: (94) 3421-1328
Visitações: Manhã, tarde e noite

Quem quiser pode fazer uma visita virtual na exposição clicando aqui.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Diretrizes para a educação escolar quilombola são discutidas em audiências públicas

Sugestões e contribuições para o texto-referência serão acatadas pelo e-mail audienciaquilombola@mec.gov.br até 31 de dezembro deste ano. Dê sua contribuição!
Diretrizes para a educação escolar quilombola são discutidas em audiências públicasQuilombolas, especialistas em educação e gestores governamentais participarão, no dia 30 deste mês, da segunda audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Promovida pelo Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Educação (CNE), em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), a atividade reunirá representações nordestinas do segmento em São Francisco do Conde, Bahia.

As propostas tiradas do encontro servirão de base para a elaboração do texto-referência. Também serão acatadas sugestões e contribuições enviadas para o e-mail audienciaquilombola@mec.gov.br até 31 de dezembro deste ano. Subsídios para o debate podem ser conferidos na cartilha para elaboração das Diretrizes Curriculares para a Educação Escolar Quilombola, disponível neste link.

TV MUNCAB

Conheça a TV Muncab, uma iniciativa do Museu Nacional de Cultura Afro-Brasileira.

0:09:04

De: inovar
Rated 0 of 5Rated 0 of 5Rated 0 of 5Rated 0 of 5Rated 0 of 5

0:08:46
De: inovar
Rated 0 of 5Rated 0 of 5Rated 0 of 5Rated 0 of 5Rated 0 of 5

0:03:19

Seminário aponta estratégias de ação para os quilombos

Seminário Quilombo Vivo. Tema: promover e proteger o patrimônio cultural quilombola (REQ. 82/11, Fátima Bezerra, Luís Alberto e Vicentinho)
Foto: Leonardo Prado
“Financiamento, descentralização e implementação de políticas públicas culturais para as comunidades quilombolas, com participação e controle social”. Este foi o tema do painel de encerramento do seminário Quilombo Vivo – Promover e Proteger o Patrimônio Cultural Quilombola, realizado, em Brasília, pela Fundação Cultural Palmares, em parceria com a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Para saber mais

Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil 2009 - 2010Um bom documento para quem busca informações detalhadas sobre desigualdade racial no Brasil é o Relatório Anual de Desigualdades Raciais No Brasil (2007-2008), elaborado pelo Laboratório de Análises Econômicas, Sociais e Estatísticas das Relações Raciais (LAESER).
O objetivo é analisar a evolução dos indicadores sociais dos distintos grupos de cor ou raça e sexo em todo o território nacional. Desta forma, será possível ter uma sistematização e reflexão sobre os avanços e recuos da igualdade racial e de gênero no Brasil, em diversos aspectos.

 Para baixar o relatório é só clicar aqui.

domingo, 11 de setembro de 2011

Observatório Quilombola

DF - Palmares promove o Seminário Quilombo Vivo
Data: 8/9/2011

Joceline Gomes
Para discutir a promoção e proteção da cultura quilombola será realizado nos dias 14 e 15 de setembro o Seminário Quilombo Vivo: Promover e proteger o patrimônio cultural quilombola. Para participar, será necessário inscrever-se pelo site da Palmares, preenchendo este formulário. As vagas são limitadas a 150 participantes.
Direcionado a lideranças quilombolas, especialistas em políticas culturais e gestores públicos da área da cultura, o Seminário tem o objetivo de debater estratégias de ação para garantir o reconhecimento, a preservação e a promoção do patrimônio cultural das mais de 1.700 comunidades remanescentes de quilombos certificadas.
Com base nos artigos 215 e 216 da Constituição Federal de 1988, o Seminário pretende discutir maneiras de realizar as propostas do Estatuto da Igualdade Racial e do Plano Nacional de Cultura. O evento é resultado de uma parceria entre a Fundação e a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.
Entre os temas debatidos estão: as criações artísticas, os bens culturais e o registro da memória das comunidades quilombolas; o desenvolvimento da economia da cultura nessas comunidades; a participação e o controle social dessa população na formulação e implementação de políticas culturais; o financiamento, a descentralização e a implementação de políticas públicas culturais para as comunidades quilombolas.
Onde: Auditório Freitas Nobre – Anexo IV Subsolo – Câmara dos Deputados – Brasília
Inscrições: clique aqui
Saiba mais sobre a programação

Conheça as publicação do CEERT

CENTRO DE ESTUDOS DAS RELAÇÕES DE TRABALHO E DESIGUALDADES

O Papel da Cor Raça/Etnia nas Políticas de Promoção da Igualdade 
Saiba Mais
Discriminação Racial nas Escolas - Entre a Lei e as Práticas Sociais 
Saiba Mais
Racismo no Brasil 
Saiba Mais
Direito de Igualdade Racial
Saiba Mais
Tirando a Máscara 
Saiba Mais
Psicologia Social do Racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil 
Saiba Mais
Cidadania em Preto e Branco: Discutindo as Relações Raciais 
Saiba Mais
Psicologia e Direitos Humanos - Práticas Psicológicas). 
Saiba Mais
Gênero e Raça 
Saiba Mais
Ação Afirmativa e Diversidade no Trabalho: desafios e possibilidades. 
Saiba Mais
Inclusão no Trabalho: desafios e perpectivas 
Saiba Mais
Anti-Racismo - Coletânea de Leis Brasileiras: Federais, Estaduais, Municipais 
Saiba Mais
Racismo e Anti-racismo na Educação: repensando nossa escola
Saiba Mais
Igualdade de Gênero no Mundo do Trabalho: projetos brasileiros que fazem a diferença 
Saiba Mais
Trilhas Negras e Indígenas 
Saiba Mais
  
Núbia – Rumo ao Egito
Saiba Mais
A mídia impressa no Brasil e agenda da promoção da Igualdade Racial 
Saiba Mais
 

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Exposição sobre a África mobiliza escolas em Belém

 


Texto: Tony Vilhena / Fotos: Ariana da Silva
 
Na noite de terça-feira, no Museu Histórico do Estado do Pará, foi realizada a abertura da Exposição "África: Olhares Curiosos", conjunto de fotografias de Guiné-Bissau, Senegal, Marrocos e África do Sul, e objetos africanos e quilombolas paraenses que desafiam o visitante a desenvolver um olhar diferente e instigante sobre a diversidade que une a África e o Brasil.
A exposição visa contribuir na mudança de impressões correntes sobre a África e as populações africanas e afrodescendentes, chamando a atenção para a importância do reconhecimento da diversidade étnico-racial global, regional e local nas relações sociais, proporcionando aos docentes e alunos informações estratégicas para o combate ao racismo e à discriminação racial.
Gleiciane Medeiros, aluna da Escola Estadual General Gurjão, estava muito "emocionada", pois pela primeira vez visitava um museu. "Estou conhecendo a África cheia de diversidade na alimentação, no urbanismo, nas pessoas", relatou a estudante.
Para a professora Estela Porfírio, que acompanhava uma turma de estudantes, toda a instalação artística revela, numa perspectiva aprofundada, a cultura extraordinária dos povos retratados. "É uma das formas mais eficazes de se lutar contra o racismo", concluiu a educadora.
A exposição é uma ação da Secretaria de Estado de Educação do Pará - SEDUC - por meio da Coordenadoria de Educação para a Promoção da Igualdade Racial - COPIR. As fotografias são do pesquisador e fotógrafo Hilton Silva. "Partimos da vontade de fazer as pessoas se encontrarem com a África e sua diversidade e contribuir para que se pense num intercâmbio de professores e estudantes entre o Brasil e os países africanos", disse Hilton, esperançoso que as autoridades estaduais adotem esta idéia como um projeto educacional viável e imprescindível.
A exposição vai até dia 10 de setembro. As escolas podem solicitar visitas monitoradas pelo 40098845 - Coord. de Educação do Sistema Integrado de Museus - SIM.

xxx SERVIÇO xxx
África: Olhares Curiosos
Até 10 de setembro de 2011
Museu Histórico do Estado do Pará
Endereço: Palácio Lauro Sodré / Praça Dom Pedro II, s/n. Cidade Velha. Belém. PA. 66020-240. Fone: (91)4009-983
Exposição virtual em www.copirseduc.blogspot.com


Pesquisador Hilton Silva e
professor Amilton Barretto
Estudantes acompanhados
das professoras

Visitantes interagem com as obras
Curiosidade despertada por fotos