Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Mês de homenagens aos heróis da Revolta dos Búzios

Agosto é um mês especial para o movimento negro brasileiro. Foi o mês em que aconteceu uma das maiores manifestações populares comandadas por negros, mulatos e mestiços, que lutavam por democracia, igualdade e melhores condições de vida para todos os brasileiros. Essa foi a Revolta dos Búzios, ocorrida entre os dias 12 e 25 de agosto de 1798.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Exposição no ‘‘Ano do Afrodescendente’’

 


O trabalho de Hilton Pereira da Silva se alia a outros eventos sobre o mesmo tema

O ano de 2011 é o Ano Internacional dos Afrodescendentes. Em consequência disso, a Secretaria de Estado de Educação, promove através da Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial (Copir), diversas ações de difusão e valorização das matrizes africanas em nossa sociedade. Uma delas é a exposição ‘’África: Olhares Curiosos’’ do fotógrafo e antropólogo Hilton Pereira Silva, aliada a palestras, desfiles, seminários e oficinas, que devem envolver estudantes a artistas paraenses, haverá também uma exposição virtual como forma de ampliação da comunicação do evento.
A exposição nos alerta para o fato de que pouco conhecemos da África e dos africanos, assim como pouco sabemos sobre nossas histórias comuns e sobre os negros brasileiros. E a proposta é despertar na população em geral e também nos estudantes da rede pública um novo olhar focado na diversidade e no respeito, valorizando as diferenças e dando a exata percepção de toda a riqueza de nossa herança cultural.
O projeto desenvolve uma intensa ação educativa, so em Belém haverão quatro oficinas temáticas que atenderão 100 jovens de escolas pública que terão a oportunidade de uma maior aproximação com a África, desmistificando várias idéias preconceituosas que existem sobre a África e apresentando um país com cultura e historia riquíssima que se soma positivamente à cultura brasileira.
Além disso, a exposição ‘’Àfrica: Olhares Curiosos’’ tem sua versão virtual e está no blog da Copir desde 23 de agosto e também no site da Secretaria de Educação, nos seguintes endereços: www.copirseduc.blogspot.com e www.seduc.pa.gov.br. A exposição permanece até 10 de setembro.

Fonte: O Liberal

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Brasil e África: encontros e experiências

Meu grito de revolta ecoou pelos vales da Terra,
Atravessou os mares e os oceanos...
Não respeitou fronteiras
E fez vibrar meu peito...
Amilcar Cabral


Prof. Elzeman foi "abraçado" pela África

Como o grito descrito acima na poesia de Amilcar Cabral, escritor e articulista político das lutas anti-coloniais de Guiné-Bissau, Cabo Verde e Angola, as histórias entre o Brasil e o continente africano estão vindo à tona nestes encontros do Projeto Afro-Pará, ação da Seduc que proporciona formação continuada em "educação para as relações étnico-raciais e o ensino da história da África" para 360 educadores/as, em seis municípios paraenses (Afuá, Almerim, Chaves, Itaituba, Novo Progresso e Prainha).
Neste projeto desenvolvido pela Coordenadoria de Educação para a Promoção da Igualdade Racial - Copir, abre-se espaço para as experiências de técnicos e professores em relação ao que sabem sobre o continente africano. Em Afuá, chamou atenção o relato do professor Elzeman Oliveira, que leciona química na Escola Estadual de Ensino Médio Leopoldina Guerreiro.
Pois, no período de dezembro de 1978 a julho de 1979, o professor paraense Elzeman atuou na qualidade de voluntário contratado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD - no Liceu Nacional Kwame N'Krumah, em Bissau, capital da República da Guiné-Bissau.
Ele contou como acompanhou e buscou contribuir no processo de organização social do país africano que se auto-proclamou independente de Portugal em 24 de setembro de 1973. Entre vários aprendizados, Elzeman destaca que a delegação brasileira estranhou em Guiné-Bissau que os homens, até mesmo os militares fardados, andavam de braços dados. Ao perguntar o porquê disso, a população local respondeu que aquilo sinalizava que um era capaz de morrer pela vida do outro. "Aprendi, assim, algo mais sobre amizade verdadeira", conclui.
Professores "Baiano" e Alzeman
entre crianças da etnia bijagós
Professores brasileiros na Embaixada do Brasil
 em Guiné-Bissau













VEJA NO BLOG DA COPIR A EXPOSIÇÃO

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Veja como foi a comemoração dos 23 anos da Fundação Cultural Palmares

Foto: Joceline Gomes / FCP
Rapper GOG dá show
Uma celebração à cultura afro-brasileira. Esta é a melhor definição para os shows que encerraram as comemorações do 23º aniversário da Fundação Cultural Palmares, na noite da última quinta-feira (18), no Teatro Nacional de Brasília. O rapper GOG abriu a festa com sucessos consagrados como “Brasil com P” e músicas inéditas do novo CD Negras Raízes, que será lançado em novembro, mês da Consciência Negra. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Lançamento do livro A representação social do negro no livro didático: o que mudou? Por que mudou?, de Ana Célia da Silva

Lançamento do livro A representação social do negro no livro didático: o que mudou? Por que mudou?, de Ana Célia da Silva
         No próximo dia 24 de agosto, às 17 horas, acontece o lançamento do livro A representação do negro no livro didático: o que mudou? Por que mudou?, de autoria de Ana Célia da Silva e publicado pela Editora da Universidade Federal da Bahia (EDUFBA).  O evento acontece no Auditório do CEAFRO (CEAO), localizado no Largo Dois de Julho, em Salvador, e é aberto ao público.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

EXPOSIÇÃO ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS



APRESENTA A REALIDADE CONTEMPORÂNEA, DIVERSIDADE E EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO RACIAIS ENTRE BRASIL E ÁFRICA

Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes 2011 Se é verdade que entre a África e o Brasil há mais semelhanças e aproximações do que pode sonhar a nossa vã geografia, é verdade também que ainda não voltamos os nossos olhares para perceber e assimilar as afinidades que temos com o continente africano.
A Exposição África: Olhares Curiosos do fotógrafo e pesquisador da Universidade Federal do Pará Hilton Silva mostra exatamente isso, para ele “pouco conhecemos da África e dos africanos, assim como pouco sabemos sobre nossas histórias comuns e sobre os negros brasileiros. A compreensão da diversidade étnico-cultural mundial é fundamental para se arquitetar um novo projeto de educação, que possibilite a inserção social igualitária e contribua para destravar o potencial intelectual embotado pelo racismo prevalente na sociedade. Isso contribuirá para o desenvolvimento de um pensamento comprometido com o anti-racismo, que elimine a noção de inferioridade/superioridade de indivíduos ou grupos, levando à percepção integral do sujeito, apreciando e respeitando toda a variabilidade humana”.

AÇÃO EDUCATIVA
O projeto desenvolve uma intensa ação educativa, só em Belém haverão quatro oficinas temáticas que atenderão 100 jovens das escolas públicas que terão a oportunidade de uma maior aproximação com a nossa matriz africana, desmistificando várias idéias preconceituosas que existem sobre a África e apresentando um continente com cultura e história riquíssima que se somam positivamente à cultura Brasileira. Veja as oficinas que serão ministradas:
- Jogos africanos- 25 vagas - alunos/as do ensino fundamental;
- Iniciação a capoeira- 25 vagas- alunos/as do ensino fundamental;
- Danças africanas- 25 vagas- alunos/as do ensino médio;
- Grafitagem- 25 vagas- alunos/as do ensino médio.

EXPOSIÇÃO VIRTUAL
A Exposição África: Olhares Curiosos tem sua versão virtual e estará no blog da COPIR a partir do dia 23 de agosto e também no site da Secretaria de educação, aumentando ainda mais a acessibilidade ao projeto. Para participar da exposição basta acessar www.copirseduc.blogspot.com.

SERVIÇO
África: Olhares Curiosos
30 de agosto a 10 de setembro de 2011
Museu Histórico do Estado do Pará
Endereço: Palácio Lauro Sodré / Praça Dom Pedro II, s/n. Cidade Velha. Belém. PA. 66020-240.
Exposição virtual em www.copirseduc.blogspot.com

Sessão de estréia do filme Acácio no CINECLUBE NANGETU

Cineclube Nangetu, Tv. Pirajá, 1194 - Marco, entre Duque de Caxias e 25 de Setembro. Belém/PA. Informações 32267599.

Segundo longa-metragem da diretora, Acácio tem como protagonista o artista plástico português Acácio Videira, que entre 1918 e 2008 dividiu a vida em três continentes. Nascido em Portugal, Acácio e sua esposa, Maria da Conceição,  abandonaram a terra natal para se casar secretamente em Angola. Trinta anos depois, migraram para o Brasil fugindo da Guerra de Independência. A partir da história do casal, o filme interliga os três países e reflete sobre as relações coloniais, a guerra e a memória.

Para mais informações sobre o filme, acesse: www.mariliarocha.com
Postado por Projetos Nangetu

--
Diretoria de Projetos
Instituto Nangetu de Tradição Afro-religiosa e Desenvolviemnto Social/ Ponto de Mídia Livre.
Tv. Pirajá, 1194 - Marco da légua.
Belém do Grão-Pará.
66.087-490
91-32267599

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A Cor da Cultura

http://www.acordacultura.org.br/sites/default/files/02_kit_corcultura.png?1286818058A Cor da Cultura é um projeto educativo de valorização da cultura afro-brasileira, fruto de uma parceria entre o Canal Futura, a Petrobras, o Cidan – Centro de Informação e Documentação do Artista Negro, a TV Globo e a Seppir – Secretaria especial de políticas de promoção da igualdade racial. O projeto teve seu início em 2004 e, desde então, tem realizado produtos audiovisuais, ações culturais e coletivas que visam práticas positivas, valorizando a história deste segmento sob um ponto de vista afirmativo.


Caderno do Professor
Caderno 01 Caderno 02 Caderno 03 Memórias das Palavras

Sala de Música
Sala de Música
Confira o livreto
clicando aqui
Faixa 01
Faixa 02
Faixa 03
Faixa 04
Faixa 05
Faixa 06
Faixa 07
Faixa 08
Faixa 09
Faixa 10
Faixa 11
Faixa 12
Faixa 13
Faixa 14

Faixa 15
Faixa 16


Fonte: Site A Cor da Cultura

Coleção História Geral da África em português (versão PDF)

Publicada em oito volumes, a coleção História Geral da África está agora também disponível em português. A edição completa da coleção já foi publicada em árabe, inglês e francês; e sua versão condensada está editada em inglês, francês e em várias outras línguas, incluindo hausa, peul e swahili. Um dos projetos editoriais mais importantes da UNESCO nos últimos trinta anos, a coleção História Geral da África é um grande marco no processo de reconhecimento do patrimônio cultural da África, pois ela permite compreender o desenvolvimento histórico dos povos africanos e sua relação com outras civilizações a partir de uma visão panorâmica, diacrônica e objetiva, obtida de dentro do continente. A coleção foi produzida por mais de 350 especialistas das mais variadas áreas do conhecimento, sob a direção de um Comitê Científico Internacional formado por 39 intelectuais, dos quais dois terços eram africanos.

Brasília: UNESCO, Secad/MEC, UFSCar, 2010.
Download gratuito (somente na versão em português):
Informações Adicionais:
Fonte: Unesco

    sexta-feira, 12 de agosto de 2011

    Pastorais da Juventude promovem semana do estudante sobre juventude negra e indígena

    Esse ano a Semana do/a Estudante acontece de 08 a 14 de agosto, com o Tema: Juventude Negra e Indígena: Comunidades de resistência; e Lema: Dos tambores e cirandas à luta pela vida; Um momento para que a Juventude reflita sobre os jovens que por muito tempo e até os dias de hoje vivem à margem da sociedade, que exclui e desumaniza.

    O subsídio propõe encontros, celebração, textos, vídeos, dinâmicas para serem trabalhadas. Além de propostas para o trabalha antes, durante e depois da Semana do Estudante, pois tem em vista que a grandiosidade da temática proposta não pode se esgotar em apenas uma semana, essa deve ser apenas a primeira de varias discussões sobre esta rica temática.
    Assim as Pastorais da Juventude pretendem que esta Semana seja um ato de resistência, um momento de celebrar, festejar, mas acima de tudo de lutar por aquilo que é de direito, pela vida de muitos que já se foram nesses anos e de tantos outros que se perderam ao longo da história. O material trás base para que essa discussão seja profunda e transformadora.
    Para fazer o download da cartilha e do cartaz da Semana do/a Estudante 2011 clique nos links abaixo:

    Fonte: Pastoral da Juventude Arquidiocesana de Belém

    quinta-feira, 11 de agosto de 2011

    Afro-Pará, ação da Seduc para formação em história e cultura africana e afro-brasileira


    A Organização das Nações Unidas – ONU – adotou 2011 como o Ano Internacional dos Afrodescendentes. É o reconhecimento da grande contribuição dos povos originários do continente africano para a cultura mundial e uma oportunidade a mais para se combater a discriminação racial e o racismo.
    Corroborando com estas reflexões, a Coordenadoria de Educação para a Promoçao da Igualde Racial – COPIR – promove o projeto Afro-Pará, que visa proporcionar a formação continuada de professores para a educação das relações étnico-raciais e o ensino de história da África, conforme demanda da LDB, alterada pela Lei nº 10.639/03 que torna obrigatória a temática História e Cultura e Africana e Afro-Brasileira no âmbito do currículo da Educação Básica.
    O Afro-Pará vai atuar em seis municípios paraenses: Almerim, Prainha, Novo Progresso, Chaves, Afuá e Itaituba. O curso está dividido em dois módulos de 60h/cada, perfazendo um total de 120 horas, o primeiro será no período de 22 de agosto a 03 de setembro. A meta é formar 360 profissionais de educação rede pública estadual que atuam no Ensino Fundamental e Médio, que necessitam adequar-se as novas orientações curriculares e obter competência no ensino do conteúdo da Lei 10.639/03. Os interessados podem procurar suas respectivas URE's para se inscreverem.

    As relações étnico- raciais e o ensino religioso: o sistema de avaliação dos cursos e instituições superiores

    ENSINO RELIGIOSOO presente texto tem como objetivo divulgar o cadastro de avaliadores das instituições de ensino superior, em relação aos conteúdos dos currículos dos cursos de graduação, especialmente, em relação ao ensino da cultura africana e afro-brasileira e do ensino religioso, todavia, o mesmo procedimento pode e deve ser ampliado às questões de gênero, orientação sexual, necessidades especiais, dentre diversas outras.

    segunda-feira, 8 de agosto de 2011

    Escolas receberão kits educativos elos Direitos Humanos de João Cândido


    A Secretaria de Estado de Educação recebeu hoje, de maneira simbólica, um kit sobre a luta pelos Direitos Humanos de João Cândido, um dos líderes da Revolta da Chibata. A ação faz parte do Projeto Memória, promovido pela Fundação Banco do Brasil, que tem como objetivo divulgar a história, vida, obra e pensamento de brasileiros que contribuíram para a transformação social do país. Este kit será distribuído para todas as escolas da rede pública estadual de ensino. São cerca de 1.200 unidades que serão presenteadas com o conjunto pedagógico, que é composto por três almanaques históricos, três guias de orientação ao professor, um cartaz e um DVD-rom com todas as peças que compõem o projeto: um livro fotobiográfico e um vídeo documentário.

    A estratégia para superar o obstáculo da cor da pele

    Reproduzo entrevista realizada pro Paulo Henrique Amorim com o  reitor José Vicente, da Faculdade Zumbi dos Palmares, em São Paulo. A Entrevista foi publicada no site Conversa Afiada (clique aqui)

    A cor da pele tem influência, sim, na profissão e na ascensão profissional.
    Esta é a opinião de 71% dos entrevistados numa pesquisa do IBGE, que ouviu moradores de 15 mil domicílios e pessoas de mais de 15 anos de idade.
    Sobre esse assunto, eu conversei no programa Entrevista Record Atualidade, da Record News, com o reitor José Vicente, da Faculdade Zumbi dos Palmares, em São Paulo, que tem 1.700 alunos e cinco cursos:  administração, direito, publicidade e tecnologia dos transportes.
    José Vicente passou a infância no Morro do Querosene, em Marília, no interior de São Paulo, foi bóia fria, e estudou. Estudou Direito, Sociologia e Política.

    José Vicente também é membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. E lá no Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que reúne figuras do país inteiro, entre empresários e professores, cientistas e economistas, que discutiu o programa que a presidenta Dilma Rousseff lançou recentemente, o “Ciência sem Fronteiras”.

    José VicenteA discussão no nosso país e no mundo inteiro é como produzir tecnologia, como produzir cérebros, como agregar valor ao produto. Isso só se faz com mais conhecimento, com mais qualificação e com a identificação de talentos que possam ser qualificados. O Brasil percebeu que é necessário produzir mão de obra qualificada. E, com isso, criou um programa que prevê 75 mil bolsas de estudos por parte do Governo, 25 mil por parte da iniciativa privada. Com isso, mandaríamos 100 mil jovens para as melhores universidades do exterior. De modo que, daqui a cinco anos, teríamos de volta estes quadros altamente qualificados, que nos auxiliariam a melhorar a nossa tecnologia, melhorar o nosso produto.

    Leia o discurso da ministra Luiza Bairros

    O estatuto é pra valer!

    O Estatuto da Igualdade Racial completa um ano de sua sanção. Nesse breve tempo, podemos avaliar que não se tratava de documento cujo impacto promoveria de imediato a redenção dos negros, como queriam alguns, tampouco era um papel sem consequências como pensavam seus críticos.
    Parte da frustração que acompanhou a sanção do Estatuto pode ser atribuída à conclusão das negociações parlamentares, após 10 anos de tramitação no Congresso. As pesquisas mostram (a última, do DataSenado, divulgada semana passada) que a maioria da população brasileira aprova o instrumento das cotas, suprimido na versão negociada do texto da lei.

    Relatório aborda questões sobre desigualdades raciais no Brasil

    A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com o apoio da Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE), Fundação AVINA e HEIFER Internacional, lançaram no dia 28 de julho, em Salvador (BA), o Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil 2009-2010.
    O relatório é uma publicação do Laboratório de Análises Econômicas, Históricas, Sociais e Estatísticas das Relações Raciais (LAESER) da UFRJ, que tem como coordenador o Professor Marcelo Paixão, também responsável pela pesquisa.

    Movimento Negro repudia atitude discriminatória

    Paulista Recife
    Professor Antônio Rufino apresentou dança afro na Escola Manoel de Bastos Tigre, foi criticado por mães que acharam que a encenação remetia à macumba, mas recebeu apoio de entidades.

    O preconceito contra as atividades desenvolvidas pelo professor da rede estadual Antônio Rufino, da Escola Manoel de Bastos Tigre, em Paulista, e comportamentos semelhantes em ambiente escolar preocupa o Movimento Negro Unificado (MNU) em Pernambuco e a Rede Nacional de Negras e Negros LGBT. Para Carlos Tomaz, um dos militantes mais ativos dos dois grupos no estado, o tratamento discriminatório à cultura negra esconde um racismo institucional.

    sexta-feira, 5 de agosto de 2011

    Divulgada a programação do 23º Aniversário da Fundação Cultural Palmares


    Arte: Alessandro Naves Resck
    Foi divulgada na quinta-feira (04/08) a programação completa do 23º Aniversário da Fundação Cultural Palmares. O “Seminário Nacional – A cultura como veículo de erradicação da miséria” é o principal evento, e se realizará entre os dias 16 e 18 de agosto. E o público pode garantir sua presença preenchendo o formulário de inscrição.
    Para encerrar a programação em grande estilo, uma homenagem Post Mortem ao ativista negro Abdias Nascimento e uma celebração à cultura afro-brasileira, com shows da cantora Leci Brandão e do rapper GOG, no Teatro Nacional de Brasília.




    ________________
    Serviço
    O quê: Seminário Nacional – A cultura como veículo de erradicação da miséria
    Quando: de 16 a 18 de agosto
    Onde: Hotel St. Peter – Setor Hoteleiro Sul, Quadra 02, Bloco D. Brasília-DF
    Inscrições: clique aqui
    O quê: Entrega do Troféu Palmares e Shows de Encerramento
    Quando: 18 de agosto
    Onde: Teatro Nacional – Setor Cultural Norte. Brasília-DF

    Confira a programação completa abaixo:

    quinta-feira, 4 de agosto de 2011

    Sudão do Sul se torna o mais novo país do mundo

    Com a bandeira do novo país, cidadão do Sudão do Sul comemora a independência nas ruas de Juba. Foto: Reuters
    Foto: Reuters
    Nas ruas da capital do país, Juba, centenas de pessoas comemoraram a independência logo após o horário oficial da separação do norte.
    Segundo o enviado da BBC a Juba Will Ross, às vésperas do nascimento do país as rádios tocaram sem parar o hino nacional sul-sudanês, composto por estudantes locais.
    O país nasce a partir de um acordo de paz firmado em 2005, após 12 anos de uma guerra civil que deixou 1,5 milhão de mortos. Em janeiro, 99% dos eleitores do Sudão do Sul votaram a favor da separação da região, predominantemente cristã e animista, em relação ao norte, governado a partir de Cartum, onde a população é em sua maioria muçulmana e de origem árabe.
    Nesta sexta-feira, o governo do presidente sudanês, Omar Bashir, reconheceu formalmente a independência da parte sul de seu país. Ele estará em Juba, no sábado para a festa, assim como o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que será recepcionado pelo presidente interino do Sudão do Sul, Salva Kiir Mayardit.
    Apesar de possuir grandes reservas de petróleo, o Sudão do Sul nasce como um dos países mais pobres do mundo, com a maior taxa de mortalidade materna, a maioria das crianças fora da escola e um índice de analfabetismo que chega em 84% entre as mulheres.
    Embora não haja estatísticas oficiais, a ONU estima que a população do país varie entre 7,5 e 9,5 milhões. O Sudão do Sul também nasce sendo um dos maiores do continente, superando as áreas de Quênia, Uganda e Ruanda somadas.

    quarta-feira, 3 de agosto de 2011

    Presidenta Dilma determina inclusão de cotas em programa de bolsas no exterior

    Por Denise Porfírio
    A presidente Dilma Rousseff determinou a reserva de cotas para negros e indígenas como um dos critérios de escolha dos 100 mil bolsistas do Programa de Bolsas no Exterior Ciência sem Fronteiras. O anúncio ocorreu durante a 38ª reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) na semana passada, no Palácio do Planalto. A iniciativa busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira através do intercâmbio e da mobilidade internacional.

    Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento

    [abdias.jpg]Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento receberá até 19 de agosto inscrições de reportagens que abordem o tema da igualdade racial no Brasil. As matérias devem ter sido publicadas entre 1º de janeiro de 2009 e 30 de abril de 2011. Trabalhos fotográficos exibidos no período também são aceitos. Todas as informações estão disponíveis no site www.premioabdiasnascimento.org.br
    Jornalistas de todo o Brasil podem participar. Os candidatos podem concorrer em seis categorias (Mídia Impressa, Televisão, Rádio, Internet, Mídia Alternativa ou Comunitária e Fotografia) e mais a categoria especial de gênero Jornalista Antonieta de Barros.

    terça-feira, 2 de agosto de 2011

    Luiza Bairros diz que mulher negra tem que ser alvo principal de políticas públicas

    Lourenço Canuto
    Repórter da Agência Brasil
    Brasília – A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros, disse hoje (29) que a mulher negra conta atualmente, na sociedade brasileira, com "benefícios trazidos nos últimos oito anos, mas ainda há muito o que fazer". De acordo com ela, é necessário que a mulher negra "seja o alvo principal das políticas e que não seja vista como fator secundário, como acontece no caso de programas [sociais] em que ela tem visibilidade por causa da existência dos filhos".