Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Prefeitura de Macapá cria primeiro instituto de igualdade racial do Brasil

Imagem
O prefeito Roberto Góes assinou neste domingo, 25, o decreto que transforma a Coordenadoria Municipal de Igualdade Racial (Comir) em autarquia. O órgão passa a ser denominado de Instituto Municipal de Promoção da Igualdade Racial.
A iniciativa, única em todo o Brasil, foi saudada pela ministra da Igualdade Racial, Luiza Helena de Bairros. Ela destacou o ineditismo de se ter uma autarquia conduzindo a política de igualdade racial em um município e da grande disposição da equipe da Prefeitura de Macapá em garantir um diálogo cada vez mais próximo com a Secretaria de Igualdade Racial da Presidência da República.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas


É jornalista? Profissional de imprensa? Estudante de Jornalismo a partir do 6º período/semestre? Faça já  a sua inscrição para o Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas, promovido pela FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas e a ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, com apoio da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR e da Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM.
O curso é gratuito, tem certificação da FENAJ e da ONU Mulheres e vai acontecer em oito cidades: Belém (PA), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).
Faça aqui o download da ficha de inscrição e encaminhe direto para o sindicato mais perto de você. Além de enviar o e-mail, é importante ligar e certificar-se de que a sua inscrição está completa.
Data
Localidade
Contato
8 e 9/8/11 Amazonas – Manaus sindicato@jornalistasam.com.br
10 e 11/8/11 Pará – Belém sinjor@jornalistasdopara.com.br
15 e 16/8/11 Ceará – Fortaleza sindjorce@sindjorce.org.br
17 e 18/8/11 Pernambuco – Recife jornalistas-pe@ig.com.br
22 e 23/8/11 Alagoas – Maceió sindjornal@uol.com.br
24 e 25/8/11 Rio de Janeiro – Rio de Janeiro imprensa@jornalistas.org.br
29 e 30/8/11 São Paulo – São Paulo jornalista@sjsp.org.br
31/8 e 1/9/11 Rio Grande do Sul – Porto Alegre sindjors@jornalistasrs.org

Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas
Inscrições: 20/7 a 3/8/2011.
Investimento: gratuito, com certificado de 8h/aula emitido pela FENAJ e ONU Mulheres.
Período do curso: 8/8 a 1/9/2011.
Locais: Belém (PA), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).
Informações: generoracaetniaparajornalistas.wordpress.com | grejornalistas@gmail.com
Participe das redes sociais do Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas: twitter.com/grejornalistase facebook.com/grejornalistas

sexta-feira, 22 de julho de 2011

63,7% dos brasileiros dizem que cor ou raça influencia a vida das pessoas

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta sexta-feira (22) os resultados do estudo Pesquisa das Características Étnico-Raciais da População: um Estudo das Categorias de Classificação de Cor ou Raça, realizado em seis Estados.
Segundo a pesquisa, mais da metade dos entrevistados (63,7%) disseram que a cor ou raça influencia a vida das pessoas. As mulheres apresentam percentual maior do que os homens: 66,8% contra 60,2%.
A principal situação em que isso acontece, segundo os entrevistados, é no trabalho, citado por 71%, seguida por relação com justiça/polícia (68,3%), convívio social (65%), escola (59,3%) e repartições públicas (51,3%).
As informações foram coletadas em 2008, em uma amostra de cerca de 15 mil domicílios, no Amazonas, Paraíba, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Distrito Federal.
Ao se autoclassificarem de acordo com a cor ou raça, 29,5% dos entrevistados usaram dois termos que não constam nas categorias de classificação do IBGE: morena (21,7%, com as variações morena clara e morena escura e negra (7,8%). Entre as classificações do IBGE, os resultados foram: branca (49,0%), preta (1,4%), parda (13,6%), amarela (1,5%) e indígena (0,4%).

Fonte: R7

quarta-feira, 20 de julho de 2011

UBUNTU PARA VOCÊ! FELIZ DIA DO AMIGO!

UBUNTU
A jornalista e filósofa Lia Diskin, no Festival Mundial da Paz, em Floripa (2006), nos presenteou com um caso de uma tribo na África chamada Ubuntu.
Ela  contou que um antropólogo estava estudando os usos e costumes da tribo e, quando  terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta pra casa. Sobrava muito tempo, mas ele não queria catequizar os membros da tribo; então, propôs uma brincadeira pras crianças, que achou ser inofensiva.
 Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, botou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e colocou debaixo de uma árvore. Aí ele  chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse "já!", elas deveriam sair correndo até o cesto e a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro.
 As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse "Já!", instantaneamente todas   as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comeram felizes.
O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou porque elas tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces.
Elas simplesmente responderam: "Ubuntu, tio. Como uma de nós  poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?"
 Ele ficou desconcertado! 
Ubuntu significa: "Sou quem sou, porque somos todos nós!"

terça-feira, 19 de julho de 2011

Campanha Nacional pelo Fim da violência contra as mulheres negras

http://revistabahia.com.br/wp-content/uploads/2010/05/muro.jpgA Articulação de Mulheres Brasileiras - AMB, neste 25 de julho de 2011, lança em todos os estados do Brasil a Campanha Nacional pelo fim da violência contra as mulheres negras. Veja o que pode ser feito na sua cidade.

POR QUE FAREMOS O LANÇAMENTO NACIONAL NESSE DIA?

A campanha foi lançada nacionalmente durante o ENAMB 2011 e a idéia é fazermos diversas atividades nos estados para o lançamento da campanha no dia 25 de julho para dar visibilidade ao Dia da Mulher Afro-latino-americana e Afro-caribenha .


Para maiores informações, escreva para a coordenadora Analba Brazão (Coletivo Leila Diniz): analba_brazao@yahoo.com.br

segunda-feira, 18 de julho de 2011

ONU homenageia Nelson Mandela

Pela primeira vez este ano, no dia 18 de julho, as Nações Unidas comemoram o Dia Internacional de Nelson Mandela, proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em dezembro de 2009. O dia, que coincide com o aniversário de Mandela – que em 2010 completa 92 anos –, foi declarado pela Assembleia Geral da ONU em reconhecimento da contribuição do ex-Presidente da África do Sul à cultura da paz e à liberdade. “Nelson Mandela encarna os mais altos valores da ONU”, disse o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, na ocasião.
Ao aprovar a resolução, os 192 Estados-Membros da ONU manifestaram seu apreço “por um grande homem que sofreu pela causa de todas as pessoas”, ao lembrar os 27 anos da prisão de Mandela. Após sua libertação, em 1990, Mandela se tornou o primeiro Presidente eleito em uma votação totalmente democrática no pós-apartheid da África do Sul.
O slogan das comemorações é “Dia Internacional de Nelson Mandela: Pela liberdade, a justiça e a democracia”.
Saiba mais sobre as celebrações do Dia e junte-se às homenagens a Nelson Mandela mandando sua mensagem através do Facebook no endereço www.facebook.com/mandelaintlday

Fonte: ONU

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Iphan abre inscrições para edição 2011 do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade

ANO DOS POVOS AFRODESCENDENTES

Estão abertas as inscrições para a 24ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, que este ano está inserido nas comemorações do Ano Internacional do Afrodescendente e homenageia os 100 anos de nascimento do artista plástico Carybé. As inscrições podem ser feitas até o dia 8 de julho nas Superintendências do Iphan em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. 

PRMFA 2011Cada ação só poderá ser inscrita em um das sete categorias previstas no Edital. Os candidatos, pessoas físicas ou jurídicas, deverão apresentar um dossiê, ilustrado para caracterizar plenamente a atividade. Comissões presididas pelas Superintendências do Iphan em cada unidade federativa promoverão a pré-seleção das ações  correspondentes aos seus estados ou Distrito Federal. Em seguida, as ações pré-selecionadas serão encaminhadas para a Comissão Nacional de Avaliação. Os resultados serão anunciados no mês de outubro. Os vencedores de cada categoria serão premiados com troféu, certificado, selo de identificação e R$ 20 mil. 

Rodrigo Melo Franco de Andrade
O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898 em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil. Na política foi chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. O grupo era formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922. Rodrigo Melo Franco de Andrade comandou o Iphan desde sua fundação em 1937, até 1968. 

O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade foi criado em 1987 em reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro e está dividido em sete categorias: 
• Promoção e Comunicação
• Educação patrimonial
• Pesquisa e inventário de acervos
• Preservação de bens Móveis 
• Preservação de bens Imóveis
• Proteção do patrimônio natural e arqueológico; e
• Salvaguarda de bens de natureza imaterial

O edital da 24ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade está à disposição nas Superintendências do Iphan e nos sites www.iphan.gov.br e www.comprasnet.gov.br. Informações gerais podem ser obtidas no Departamento de Articulação e Fomento - DAF / Coordenação-Geral de Difusão e Projetos, em Brasília, SBN Quadra 02, Edifício Central Brasília, 2º andar - Cep: 70040-904. 
Telefones: (61) 2024.6199, 2024.6245 e 2024.6176. Fax: (61) 2024.6198. Endereço eletrônico: daf@iphan.gov.br






Ministra quer que MEC incentive ensino de cultura afro-brasileira

<br>Fonte: Google
A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, Luiza Bairros, defendeu hoje que o Ministério da Educação (MEC) adote o cumprimento da Lei 10.639/03, que obriga os estabelecimentos de ensino básico a ofertar disciplinas sobre história e cultura afro-brasileira, como critério de avaliação das escolas. “Não existe hoje nenhum fator de indução forte para a aplicação da lei, e incluí-la como critério de avaliação do ensino seria extremamente importante”, afirmou, em audiência pública promovida pela Comissão de Educação e Cultura. 

Veja como foi a audiência pública sobre ensino religioso



Prezado Educador(a):
Em audiência pública realizada no dia 28 de junho na Comissão de Educação e Cultura, membros da coordenação do FONAPER, filiados, pesquisadores, professores, representantes de diversas denominações religiosas, políticos e demais interessados estiveram debatendo a obrigatoriedade do Ensino Religioso nas escolas públicas, prevista nos projetos de lei 309/11 e 1021/11, do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP).

História Geral da África nas escolas paraenses

Oito volumes com mais de oito mil páginas sobre a história da África. Da pré-história aos dias atuais, na Coleção “História Geral da África”, o continente é apresentado a partir da visão de mais de 350 pesquisadores africanos que expõem a cultura, a economia, a sociedade e as artes do lugar onde a humanidade surgiu. A versão em língua portuguesa da Coleção foi lançada na Universidade Federal do Pará nesta terça-feira, 21, com a presença de representantes da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (UNESCO), do Ministério da Educação (MEC), de órgãos públicos, de universidades locais e de pesquisadores da temática afro-brasileira de todo o país.