Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

quarta-feira, 27 de março de 2013

Correios lançam selos contra a discriminação racial e defesa do meio ambiente

Objetivo é promover a valorização da população negra e seu papel na história do Brasil



Os Correios lançam, nesta quinta-feira (21), um selo da série “América - Luta contra a Discriminação Racial” em comemoração ao Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial. O lançamento também marca o aniversário de 10 anos da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir).

Só 14% da verba para ações quilombolas foi usada em 2012

Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (Iara) pediu à Comissão de Direitos Humanos que solicite auditoria do Tribunal de Contas da União no Programa Brasil Quilombola

Priscilla Borges - iG Brasília | 26/03/2013 07:00:00

A maior parte da verba destinada ao financiamento de ações para a comunidade quilombola em 2012 continua dentro dos cofres do governo federal. Segundo levantamento realizado pelo Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (Iara) no Siga Brasil, sistema de informações sobre orçamento público, somente 14% dos recursos para a área foram usados no ano passado.
Os dados mostram que, do montante autorizado para custear ações nas áreas de educação, saúde, agricultura, cultura, enfrentamento ao racismo e saneamento básico para essas comunidades – R$ 407 milhões – foram pagos até 31 de dezembro R$ 56,9 milhões. Outros R$ 310 milhões foram empenhados para financiar serviços, mas não é possível afirmar que eles se efetivaram. O restante, R$ 41 milhões, não chegou a ser previsto para utilização.

No Brasil, os homicídios tem cor

A cor dos homicídios no Brasil 
 
 2012 | A cor dos homicídios no Brasil O estudo focaliza a incidência da questão racial na violência letal do Brasil, tomando como base os registros de mortalidade do Ministério da Saúde entre os anos 2002 e 2010.

Leia mais +

terça-feira, 26 de março de 2013

I ENCONTRO DE TEÓLOGOS E TEÓLOGAS DA TRADIÇÃO DE MATRIZ AFRICANA

Inscrições e orientações para participação pelo site http://www.atrai.teo.br
 
I ENCONTRO DE TEÓLOGOS E TEÓLOGAS DA TRADIÇÃO DE MATRIZ AFRICANA
 
APRESENTAÇÃO
A Associação Nacional dos Teólogos e Teólogas da Religião de Matriz Africana e Indígena – ATRAI, é uma associação que tem como finalidade, entre outros objetivos, a congregação de adeptos/as e/ou vivenciadores/as estudiosos/as da teologia de matriz africana e/ou afrocentrada; funcionar como órgão diretivo e normativo do exercício da ocupação; zelar pelo cumprimento das competências, habilidades e atitudes da área acadêmica; servir de referência no tocante aos pressupostos éticos e morais da teologia de matriz africana, bem como estimular o estudo e produção de conhecimento que desvele de forma a explicitar categorias de análises e quadro de referências concernentes à especificidade teórica referida dentro do campo mais amplo da epistemologia negro-africana.

Audiência sobre educação escolar quilombola

Minha foto
FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E
DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL
FOPEDER
O racismo não implica apenas a exclusão de uma raça por outra, ele sempre pressupõe que a exclusão se faz para fins de dominação” - Steve Biko

CONVITE 

Prezad@s companheir@s do FOPEDER,
 
Este FOPEDER convida para audiência com a Secretaria de  Estado de Educação - SEDUC na  Diretoria de Ensino Médio-DEM e o Sistema Modular de Ensino-SOME para  a implementação das diretrizes  nos espaços atendidos pelo SOME,  objetivando discutir as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica, estabelecido pela Resolução nº 8, de 20 de novembro de 2012 com  Que será realizada no dia 03 de abril as 10h no Auditório da SEDUC, Rodovia Augusto Montenegro, Km 10, s/n Icoaraci, Belém/PA , fone (91) 32015157.
 
  Cordialmente,
 
Maria Zeneide Gomes da Silva
pelo  FOPEDER
 
As diretrizes curriculares nacionais para a educação escolar quilombola constam da Resolução nº 8 do CNE, Câmara de Educação Básica, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 21, seção 1, página 26.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Fopeder convida para reunião

Minha foto
FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E
DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL
FOPEDER
O racismo não implica apenas a exclusão de uma raça por outra, ele sempre pressupõe que a exclusão se faz para fins de dominação” - Steve Biko

CONVITE 

Prezad@s companheir@s do FOPEDER,
 
Com o objetivo de apresentar e discutir a programação, para construção da Conferência Livre da CONAE  que é preparatória para CONAE a ser realizada em fevereiro de 2014, convidamos  as   Entidades e/ou Instituições da Coordenação Colegiada e demais componentes do FOPEDER para reunião de trabalho no dia 04 de abril de 2013, quinta-feira, de  9h às 12h, no  Auditório do ICED / UFPA(Rua Augusto Corrêa, 01, Guamá, Belém/PA).  O encontro    terá  caráter articulador para a realização da Conferencia Livre que subsidiará as Conferências municipais, regionais e estaduais / 2013. 
 
 
Cordialmente,
 
 
Maria Zeneide Gomes da Silva
pelo  FOPEDER

Ufopa discute origens do racismo e cotas raciais nas universidades

Professores, estudantes de graduação, representantes de comunidades quilombolas e outros movimentos sociais assistiram, no último dia 22, à palestra “As cotas para negros na universidade como mecanismo de luta para a construção da igualdade étnica e racial”, proferida pela Profa. Dra. Zélia Amador de Deus em Santarém/PA.
O evento aconteceu no Campus Rondon da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), promovido pelo Programa de Extensão “Africanidades em sala de aula” (PROEXT/2013) e pelo Fórum Permanente de Educação e Diversidade Étnico-Racial do município.

Data da ONU lembra perigos do racismo e do preconceito nos dias de hoje

Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos
Por mais de 400 anos, mais de 15 milhões de homens, mulheres e crianças foram vítimas do trágico comércio transatlântico de escravos, um dos capítulos mais sombrios da história da humanidade.

A celebração anual de 25 de março como o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos serve como uma oportunidade para honrar e recordar aqueles que sofreram e morreram nas mãos do brutal sistema de escravidão, bem como para aumentar a conscientização sobre a perigos do racismo e do preconceito atualmente.

O tema deste ano – “Livre para sempre: Celebrando a Emancipação” – presta homenagem à emancipação dos escravos nas nações em todo o mundo.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Escola Vilhena Alves tem ação contra o racismo

Destacamos a iniciativa da professora Léa Paraense Serra e da turma M2NJ02 que construíram uma aula sobre a diversidade étnico-racial.

Combate à Discriminação Racial

Em 21 de março, Dia Internacional de Combate à Discriminação Racial, na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio VILHENA ALVES, no turno da noite, Turma M2NJ02, ao apresentarmos os conteúdos curriculares a serem aplicados durante o período letivo de 2013, chamamos a atenção para o tema
A questão Étnico Racial
iniciando uma discussão que contou com a participação de alguns alunos entre os presentes na Turma: Adriani Floraci, Rogério Pinheiro, Carlos Alberto, Neylson de Oliveira, Rayana da Silva, Raphael Mello, Marcos André, Alexandre Dias e Michel Vitor.
Como recurso metodológico utilizamos parte do texto inserido na postagem feita pela COPIR:
Eliminar a discriminação contra negros

Acrescentando informações sobre a Lei Afonso Arinos  e sobre a Lei nº 7.716/1989 denominada Lei Caó (por força do parlamentar Carlos Alberto Caó, autor do projeto de Lei na Câmara dos Deputados).

Esta postagem, de forma pontual atende à sugestão da Copir/Seduc/PA, mas o tema em questão é frequentemente discutido nas aulas de Sociologia.

Inscrições abertas para o edital convocatório de Instituições Formadoras para o A Cor da Cultura III


13/03/2013

Inscrições abertas para o edital convocatório de Instituições Formadoras para o A Cor da Cultura III

Estão abertas, até 31 de março, as inscrições para o 2ª edital convocatório de Instituições Formadoras para o A Cor da Cultura III, projeto desenvolvido pela Fundação Roberto Marinho, com o apoio da PETROBRAS, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial – SEPPIR, do Ministério da Educação – MEC, do Centro Brasileiro de Informação e Documentação do Artista Negro – CIDAN, da Fundação Cultural Palmares e da TV Globo.


O A Cor da Cultura é um projeto social de valorização do patrimônio cultural afro-brasileiro e de reconhecimento da história e da contribuição da população negra à sociedade brasileira e que tem como objetivo o apoio à implementação da Lei 10.639/03, realizando formação de educadores e professores de redes públicas de educação para uso do kit pedagógico A Cor da Cultura.

Confira o edital do projeto:

AnexoTamanho
edital - cor da culturaIII.pdf773.45 KB
modelos formação_anexoII.pdf186.23 KB
linha do tempo edital IF_anexoI.pdf256.09 KB

Pará lança Pacto pela Educação


O lançamento do Pacto pela Educação do Pará está marcado para o dia 26 de março, em Belém/PA, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, a partir das 9h.

quinta-feira, 21 de março de 2013


Copir é homenageada pela luta contra o racismo

Neste 21 de março, quando comemoramos o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, a Turma 2º R 02-M, da escola estadual “Prof. Ademar N. de Vasconcelos”, de Salvaterra/PA, aproveitou para agradecer o apoio da Copir em seus projetos pedagógicos.
A principal ação da escola em parceria com a Copir é a Semana Integrada de Combate ao Racismo no Marajó, que acontece todo ano reunindo escolas dos municípios de Salvaterra e Soure.
A equipe da Copir recebe a homenagem e a compartilha com todos/as educadores/as da Seduc que tem se esforçado para inserir a temática da diversidade étnico-racial no cotidiano das escolas.
E é claro, parabeniza os/as alunos/as, professores/as e direção da escola que se envolvem positivamente para o êxito dos projetos.



Calendário escolar da rede estadual terá as relações étnico-raciais como temática

Da Redação : Agência Pará de Notícias
 
A Coordenadoria de Educação para a Promoção da Igualdade Racial (Copir) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), organiza, junto às escolas, o calendário de mobilização e a proposta para inclusão da temática das relações étnico-raciais no calendário escolar, como determina a Lei 10.639, que institui a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Africanas e Afro-Brasileiras na Educação Básica.
O objetivo de organizar um calendário é romper com o pensamento de falar de cultura afro-brasileira somente próximo ao dia 20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, e sim abordar o tema durante o ano todo. Além do dia 20, as ações também terão como alvo os dias 18 de março (Dia Estadual e Municipal da Umbanda e dos Cultos Afro-brasileiros); 21 de março (Dia Internacional de Luta conta a Discriminação Racial); 11 de maio (Dia Nacional do Reggae - data de morte do cantor Bob Marley, em 1981); 13 de maio (Dia de Denúncia contra o Racismo); 25 de maio (Dia da Libertação da África); 25 de julho (Dia da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha); 31 de julho (Dia da Mulher Africana) e 15 de outubro (Dia Nacional da Umbanda e cultos afro-brasileiros).

Igualdade racial, nós podemos


Sociedade civil pode incluir questão racial na Agenda de Desenvolvimento Global Sociedade civil pode incluir questão racial na Agenda de Desenvolvimento Global
Se você entende que o item mais importante para o desenvolvimento é a "Eliminação do preconceito e da discriminação", participe até o dia 25 de março da pesquisa mundial que quer a sua ajuda na escolha das prioridades para um mundo melhor. Os resultados serão compartilhados com líderes mundiais na definição da próxima Agenda de Desenvolvimento Global.

Uma década de Seppir

 
Convidamos para a postagem coletiva que faremos na semana de 18 a 22 de março em comemoração aos dez anos de criação da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - SEPPIR e pelo Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial. Participe pelo Facebook, Twitter, Tumblr, Flicker, Blogs, Youtube e afins!
Como participar: crie um post sobre os dez anos de criação da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e/ou sobre o Combate à Discriminação Racial. Ao publicá-lo, use como imagem o selo que identifica a postagem coletiva.
Pode ser um depoimento, uma imagem, um vídeo, artigo, uma arte gráfica, um ou muitos posts em uma rede social. No Twitter, iremos usar as hashtags #IgualdadeRacial #10AnosSEPPIR

A criação da SEPPIR é um marco na institucionalização das políticas de promoção da igualdade racial. O Brasil foi o primeiro país a criar um órgão com status de ministério para tratar especificamente do combate ao racismo e da superação das desigualdades raciais. Essa conquista é resultado de décadas de luta de organismos e entidades negras por ações efetivas do Estado.
Envie seu post por e-mail (seppir.imprensa@seppir.gov.br) para que possamos divulgá-lo nas nossas redes.

Comemore conosco essa vitória!
Visite Rede Afrobrasileira Sociocultural em:

21 de março: Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial

http://2.bp.blogspot.com/-ek48pyRXHpE/T2nbue4RTCI/AAAAAAAAAOc/pUdSdu0W7dQ/s1600/21%2Bde%2Bmar%25C3%25A7o.jpg

Massacre de Shaperville – Era 21 de março de 1960, quando ocorreu no bairro de Sharpeville, na África do Sul, um protesto contra a Lei do Passe, que obrigava a todos os não-brancos do país a usarem uma caderneta. No documento constava a cor, etnia e profissão de cada negro, sua situação na receita federal e restringia o acesso aos bairros brancos da cidade.
A manifestação reuniu vinte mil manifestantes na cidade localizada em Johannesburg. Tratava-se de um protesto pacífico, mas mesmo assim a polícia sul-africana o conteve com rajadas de metralhadora deixando 180 pessoas feridas e 69 mortos. Em 1976, a Organização das Nações Unidas oficializou a data como memória tornando-a Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.

Eliminar a discriminação contra negros

Na data em que se relembra o que foi considerada a maior chacina de negros da história, o Massacre de Sahperville, Eloi Ferreira de Araujo, presidente da Fundação Cultural Palmares, publicou por meio do jornal Folha de São Paulo o artigo Eliminar a discriminação contra negros.
A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial a fim de garantir a reflexão sobre os impactos do racismo na sociedade.

Fonte: Palmares

sexta-feira, 15 de março de 2013

Seminário: "Negritude e equidade social: efetivar direitos adquiridos"

Tema: "Racismo: Aplicar leis é necessário"
Palestrante-convidada: Dra. Rebeca Duarte - do Observatório Negro - Recife-PE
Data: 21 de Março (quinta-feira) - Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial
Horário - 16h
Local - Auditório da OAB/PA - Praça da Trindade, Centro - Belém/PA


Organização : CEDENPA- Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará

Parceria - Fundação Ford / Apoio - OAB-PA/DHs

Saiba mais sobre Rebeca Durte, clique em

Você sabia que 18 de março é o Dia Municipal (Belém) e Estadual (Pará) da Umbanda e das Religiões Afro-Brasileiras?

A luta pela liberdade religiosa no estado do Pará tem nome, e o nome dessa luta por liberdade é “Mãe Doca”! 

O dia 18 de março foi dedicado aos umbandistas e aos afro-religiosos através da Lei Municipal nº 8272, de 14 de outubro de 2003 (autoria do vereador Ildo Terra/PT) e da Lei Estadual nº 6.639, de 14 de abril de 2004 (autoria da deputada Araceli Lemos/ PSoL) e registra a luta de de dona Rosa Viveiros, Também conhecida como Nochê Navanakoly e como “Mãe Doca”

A homenagem é uma celebração à memória da luta de Nochê Navanakoly, que era maranhense de Codó e filha de santo do africano Manoel-Teu-Santo. Seu Vodun era Nanã e Toi Jotin. Foi Dona Rosa Viveiros, que em 1891 - apenas três anos após a abolição da escravatura - enfrentou o racismo e outros preconceitos da época e inaugurou seu Terreiro de Tambor de Mina na capital paraense.

Mãe Doca foi presa várias vezes porque cultuava as divindades africanas e preservava as tradições de matriz afro-amazônica, e nem por isso desistiu de manter aberto o terreiro que dava lugar para a manutenção das tradições de sua origem negra africana.

A consciência negra foi o que motivou Mãe Doca a enfrentar os desmandos da polícia e o poder constituído em alicerces racistas e discriminatórios. E pelo reconhecimento do valor da luta de Mãe Doca por cidadania e o direto humano de consciência religiosa, é que as lideranças de povos tradicionais de matrizes africanas, lideranças que hoje continuam como herdeiros da mesma resistência que desde o final do século XIX se mantém na luta que enfrenta o racismo que demoniza as tradições afro-amazônicas, e por reconhecer a importância de manter viva a memória de nossas lutas cotidianas, é que Mãe Doca se tornou o símbolo de resistência das religiões de matriz africana no Pará, e é em sua homenagem que celebramos o dia 18 de março como o dia da Umabanda e das religiões Afro-brasileiras.


Fonte: Instituto Nangetu

Aula prática contra a intolerância religiosa em Belém do Pará


IV CAMINHADA ESTADUAL PELA LIBERDADE  RELIGIOSA FÉ E RESISTÊNCIA - CAMINHANDO A GENTE SE ENTENDE.

O objetivo principal é construir Culturas de Paz e Respeito entre as Religiões e seus Praticantes, tendo como base a Laicidade de nosso País, e ainda garantir a Cidadania no Estado Democrático em que vivemos; a Liberdade de Crenças e Práticas na Fé de cada indivíduo, ou ainda, o Ceticismo e a liberdade de não crer.

Neste sentido acreditamos num mundo de paz, mais justo e respeitoso para com os Seres Humanos na sua plena liberdade; O respeito do homem pelo homem e suas Ideologias Religiosas, sua Fé, seus Símbolos, seus Deuses ou nenhum. O ideal seria não haver Caminhadas aonde reivindicamos minimamente o respeito por quem somos, o que praticamos, em quem acreditamos, ou no que não cremos; e sim Caminhadas, que comemorássemos a alegria das conquistas que a passos lentos ou largos conseguimos até agora ou ainda de estarmos juntos e solidários por um Mundo de Paz, Equidade, Respeito, sem Racismo, sem Homofobia, sem Violência, sem o Desnivelamento Econômico, Social e Cultural,marcas gritantes da sociedade em que vivemos.

Contamos com sua participação,pois,acreditamos num Mundo onde as Diferenças e os Diferentes possam ser igualmente respeitados, e com certeza, "CAMINHANDO A GENTE SE ENTENDE".

Espero você, pra fazer parte desta grande corrente em prol da Liberdade, do Respeito a Cidadania e da Paz.

Ngunzos!(dialeto bantu-significa força vital).

Atenciosamente Mametu Kátia Hadad - Diretora Social do INTECAB/PA.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Escolas públicas do Pará se mobilizam pela educação das relações étnico-raciais


Escolas dos municípios de Soure e Salvaterra em caminhada contra o racismo no Marajó
  Encerra neste 15 de março o prazo para que as escolas públicas estaduais do Pará apresentem seus projetos e ações de valorização da diversidade étnico-racial como uma estratégia pedagógica de combate ao racismo no ambiente escolar.
A Seduc, através de sua Coordenadoria de Educação para a Promoção da Igualdade Racial – Copir, visa articular a implementação da Lei 10.639, aprovada a dez anos atrás e que institui obrigatoriedade do ensino sobre História e Cultura Africanas e Afro-Brasileiras. Com esta medida, reconhece-se que, além de garantir vagas para negros nos bancos escolares, é preciso valorizar devidamente a história e cultura de seu povo, buscando reparar danos, que se repetem há cinco séculos, à sua identidade e a seus direitos.
A relevância do estudo de temas decorrentes das produções socio-históricas afro-brasileiras e africanas não se restringe à população negra, ao contrário, diz respeito a todos os brasileiros, uma vez que devem educar-se enquanto cidadãos atuantes no seio de uma sociedade multicultural e pluriétnica, capazes de construir uma nação democrática.
Para saber mais desta mobilização é só acessar o blog www.copirseduc.blogspot.com.

Para saber mais clique aqui

segunda-feira, 11 de março de 2013

Rádio em Belém tem transmissão especial

Está confirmado para o próximo sábado, 16 de março, a partir das 10h. RC Resistência FM em transmissão especial pela celebração do dia municipal e estadual da Umbanda e das Religiões Afro-Brasileiras, e pela memória de luta de Mãe Doca.
Andre Oliveira Pereira e Edson Catendê vão abrir a programação trazendo a experiência da AFAIA na condução do afoxé Italemi Sinavuru - um marco da resistiencia dos povos de terreiros.
Mãe Nalva vai comandar o programa sobre saúde nos terreiros.
Marilu Marcia Campelo trará informações e promovera o debate sobre a segurança alimentar e as fprmas tradicionais de alimetação nos terreiros
As culturas de terreiros será a pauta dos conselheiros paraenses no Colegiano Nacional Setorial de Culturas Afro-brasileiras Mam'etu Nangetu Úa NZambi Mametu Muagile Janete Oliveira Alex Leovan Omioryan Emanuell e Arthur Leandro
A equipe do Projeto Azuelar do Instituto Nangetu, Prêmio de Mídia Livre pelo MinC, promove o debate sobre o direito à comunicação.
E, ainda, divulgação do calendário de celebrações do mês de março, informações sobre as lutas por cidadania e direitos humanos e muito mais.
sintonize 90,1 - RC Resistência FM.
 

sexta-feira, 8 de março de 2013

UFPA manifesta pesar pela morte de Vicente Salles

http://4.bp.blogspot.com/-W1ydah9Onxc/TtrNKL-PAAI/AAAAAAAAFh4/5YWL0oq8KzU/s400/IMG_3046.JPG
Vicente Salles junto com Mestre Jorge e o grupo Filhos de Quilombo de Moju/PA

Em nota enviada à imprensa, a Universidade Federal do Pará (UFPA) afirma que manifesta pesar pela morte, na madrugada desta quinta-feira (7) do professor Vicente Salles, doutor “Honoris Causa” desde 2011.

Na nota, a instituição reconhece que Salles contribuiu intensamente com a universidade e com a produção de conhecimento durante toda sua vida. "O pesquisador, historiador, folclorista e musicólogo é um dos mais importantes intelectuais do Século XX, da Amazônia e do Brasil, e com mais de 80 anos continuava produzindo e colaborando com diversas áreas", aponta a nota.

Além de receber o título doutor honoris causa, que é o mais alto dos graus universitários, normalmente concedido a personalidades que tenham se destacado pelo saber ou pela atuação em prol das Artes, das Ciências, da Filosofia, das Letras ou do melhor entendimento entre os povos; Vicente Salles também doou a parte de sua coleção pessoal e material utilizado em pesquisas sobre negros, cultura, artes e folclore da Amazônia ao Museu da UFPA.

ACERVO
O Acervo Vicente Salles reúne mais de quatro mil documentos e 70 mil recortes de jornais sobre temas como música, folclore, negro, artes cênicas e literatura, além de uma coleção de cartuns, fotografias de época, cordéis, peças de teatro do repertório regional e nacional, teses, folhetos e cartazes.
(DOL, com informações da UFPA)

Artistas de terreiro expõem obras em galeria de Belém

Cultura afro-religiosa é a base de inspiração para os artistas.

Universo da cultura afro-religiosa brasileira serve de inspiração para a produção dos artistas.  (Foto: Divulgação/FCPTN) 
Universo da cultura afro-religiosa brasileira serve de inspiração para a produção dos artistas. (Foto: Divulgação/FCPTN)
Serviço: Exposição ”Nós de Aruanda: artistas de terreiro” na Galeria Theodoro Braga, em Belém. A visitação pode ser feita de 11 a 22 de março, das 9h às 19h. Entrada gratuita. Mais informações: (91) 3202-4313.

quinta-feira, 7 de março de 2013

terça-feira, 5 de março de 2013

Evento nacional discute Políticas Educacionais e Currículo

Estão abertas as inscrições para o XI Seminário Nacional de Políticas Educacionais e Currículo, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Ciências da Educação (ICED) da Universidade Federal do Pará. O evento ocorrerá de 12 a 14 de março, no Auditório do Setor Profissional, Campus Guamá. O prazo para inscrições com apresentação de trabalhos será até esta terça-feira,  5, por meio do endereço eletrônico rakelamorim@yahoo.com.br. Já os que irão participar apenas como ouvintes terão um prazo maior, até o dia 10.

Mais informações no site do projeto.

Exposição de máscaras apresenta trabalho de alunos de Cenografia da UFPA

Serviço:
Exposição Máscaras Cênicas
Data: de 5 a 8 de março, das 17h às 19h.
Local: Sindifisco (Boulevard Castilho França 730 - Praça dos Estivadores - Belém/PA)

As máscaras africanas serviram de inspiração para o primeiro trabalho desenvolvido pelos alunos da turma de 2012 do curso de Cenografia da Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA). Por meio delas, os futuros profissionais ingressaram no universo mítico, teatral e transformador que as máscaras permitem. O resultado pode ser conferido na exposição, que ocorre a partir desta terça-feira, 5, até sexta-feira, 8, das 17h às 19h, no Sindifisco, localizado no Boulevard Castilho França, 730, na Praça dos Estivadores, em Belém.
Ainda no inicio do curso, o professor e cenógrafo Bruce Macêdo proporcionou uma experiência enriquecedora para os alunos. Embora o referencial do trabalho seja a cultura africana, o olhar amazônico está presente na liberdade artística e na valorização do material e do domínio da técnica, que permite aos futuros profissionais criarem qualquer objeto a partir dela.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Governo abre consulta pública sobre Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial

consulta p�blica sinapir
consulta p�blica sinapir

A partir do dia 1º de março, o documento-base que vai regulamentar o Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir) estará aberto para Consulta Pública no site do Governo Eletrônico e poderá ser acessado aqui. “O Sinapir é um passo importante para efetivar a política de igualdade racial no país. Queremos um processo democrático de construção desse sistema. Por isso, estamos fazendo essa Consulta Pública. Com a participação da sociedade será possível aprimorar a proposta, que representa um dos principais desafios para a SEPPIR”, afirma a ministra Luiza Bairros.

sexta-feira, 1 de março de 2013

FAÇA DE SUAS MÃOS UM VEÍCULO DE INTERAÇÃO E COMUNICAÇÃO


CURSO DE LIBRAS (LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS)

Comunique-se em Língua de Sinais, conheça a Cultura Surda de Belém e amplie seus conhecimentos lingüísticos.

INÍCIO:02 / 03 / 2013
HORÁRIOS: 08:30h A 11:30h OU 14:30h A 17:30h (AULAS SOMENTE AOS SÁBADOS)
LOCAL: ESCOLA ASTÉRIO DE CAMPOS, AV: ALMIRANTE BARROSO, nº 2800 frente MINISTÉRIO DA JUSTIÇA( antigo escola Lauro Sodré)
DURAÇÃO DO CURSO: 15 MESES (5 MÓDULOS)
CARGA HORÁRIA: 225 H COM PROFESSORES CAPACITADOS PELO PROLIBRAS/MEC, FORMADOS PEDAGOGO, LETRAS LIBRAS E ESPECIALIZAÇÃO.
INSCRIÇÃO: R$ 35,00 (somente ao sábado no dia 02/03/2013)
MENSALIDADE: R$ 65,00 POR MÊS
 
INFORMAÇÕES:
ESTER-81158689 / 999611016 e
ALESSANDRA- 81566676 / 3277-0644

INSCREVA-SE JÁ!!