Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Copir realiza Afro-Pará em Vitória do Xingu

 
De 17 a 21 de outubro de 2016, a cidade de Vitória do Xingu recebeu o primeiro módulo da formação continuada intitulada Afro-Pará. O projeto refere-se à formação de professores/as, gestores/as e técnicos/as da Rede Pública Estadual para atender o que determina a Lei nº 10.639/03, que torna obrigatória a temática História e Cultura e Africana e Afro-Brasileira, no âmbito do currículo da Educação Básica.
A pedagoga Marcia Helena Alves do Carmo e o sociólogo Tony Vilhena foram os técnicos da Copir que mediaram a formação. Participaram profissionais da educação da Seduc e da Semed, visando o aprimoramento de metodologias de tratamento dos conteúdos das africanidades nas escolas como estratégia de enfrentamento ao racismo.
A professora Joelma Ferreira teve interesse em participar da formação por considerar que, embora a Lei 10.639 já tenha dez anos de vigor, a temática da igualdade racial ainda está muito rarefeita no cotidiano das escolas. "A inclusão da temática na escola deveria ser garantida, pois ainda observamos muito preconceito na escola e falar sobre africanidades pode contribuir para a compreensão dos alunos negros da origem e beleza de sua negritude", opina Ferreira.
A presença de professores e professoras de todas as áreas do conhecimento garantiu contribuições enriquecedoras, além de permitir interações e trocas de ideias para futuros projetos sobre a temática da diversidade étnico-racial. Este foi apenas o primeiro módulo e tratou especificamente da história da África. O segundo módulo será à distância, usando a plataforma disponibilizada pelo Centro de Formação de Profissionais da Educação Básica do Estado do Pará (Cefor). E no início de 2017 haverá o terceiro módulo de forma presencial, fechando o total de 120 horas.


Fotos do encontro:


























 

Fotos e texto: Copir

Copir participa de lançamento do Edital Gestão para Equidade - Juventude Negra

GESTÃO ESCOLAR PARA EQUIDADE -JUVENTUDE NEGRA
No dia 24 de outubro, foi apresentado no Centro Cultural Praça das Artes em São Paulo, com apoio do instituto UNIBANCO, o BAOBÁ e UFSCAR, o II lançamento do Edital Gestão para Equidade - Juventude Negra, com o objetivo de implementar práticas no espaço escolar de melhorias das relações etnicorraciais capazes de trazer avanços nos resultados dos estudantes negros e negras do ensino médio.

As escolas públicas de ensino médio e organizações sociais que atuam na área da educação estão convidados a apresentar os seus projetos , que devem contemplar quatro eixos: valorização da diversidade, combate as desigualdades, estímulo ao protagonismo juvenil e participação da comunidade escolar.

A Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial -COPIR, que esteve representada pela professora Deusilene Lisboa, sente-se grata por ter participado deste evento tão importante para a superação do racismo e o empoderamento da juventude negra, no sentido de pertencimento étnico e protagonismo na sociedade.









terça-feira, 25 de outubro de 2016

COPIR no Seminário do Programa "Escravo, nem Pensar!"

O programa Escravo, nem pensar!, é coordenado pela ONG Repórter Brasil, teve início em 2004, graças a uma parceria com a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República.
Sua missão é diminuir o número de trabalhadores aliciados para o trabalho escravo e submetidos a condições análogas a de escravidão nas zonas rural e urbana do território brasileiro, por meio da educação.
No Pará, o objetivo é formar especialistas de Educação e gestores das 20 USEs e de 7 UREs (Abaetetuba, Castanhal, Conceição, Mãe do Rio, Marabá, Santa Izabel e Tucuruí). A formação terá três encontros presenciais, até 2017.
O primeiro encontro acontece nos dias 25, 26 e 27 de outubro, em Belém (PA), no auditório da Escola de Educação Tecnológica Magalhães Barata. A formação tem parceria também com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Secretaria Extraordinário de Integração de Políticas Sociais e apoio do Ministério Público do Trabalho no Pará.

Educadores da rede estadual recebem formação de combate ao trabalho escravo


O Pará é o campeão de ocorrência de trabalho escravo: de 1995 a 2015, 12.799 pessoas foram libertadas em um total de 1076 casos. O Estado é o terceiro em origem de trabalhadores resgatados no país, atrás de Maranhão e da Baia. Para prevenir e educar a população quanto a este tipo de trabalho, 60 gestores e técnicos em educação da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) iniciaram, nesta terça-feira (25) a Formação de gestores públicos de educação do estado do Pará sobre o trabalho escravo.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Lançamento da 2ª edição da Revista digital In Form@ção


Lançamento da 2ª edição da Revista digital In Form@ção, no dia 14 de outubro do corrente.

PROGRAMAÇÃO
16h – Composição da mesa de abertura:
          - Secretário Adjunto de Ensino: Profº Dr. José Roberto Alves
          - Coordenador do CEFOR: Profº Dr. Carlos Alberto Miranda
          - Editor da Revista: Profº Ms Marcelo Carvalho
16:30h – Roda de conversa: “Aproximando o saber acadêmico das práticas e saberes pedagógicos”
            Mediadoras: Profª Dra. Diana Lemes (UEPA e SEMEC)
                                 Profª Msc. Jacirene Albuquerque (UEPA e SEDUC)
            Debatedores:  os autores dos artigos 
18h: Entrega dos Certificados aos autores
18:30h: Programação cultural e coquetel