Acesse a Plataforma MADAE

Acesse a Plataforma MADAE
Curso Afro-Pará

EXPOSIÇÃO "ÁFRICA: OLHARES CURIOSOS", Hilton Silva

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

COPIR promove o dia da Consciência Negra na Pç. da República em Belém.


  Em decorrência a comemoração ao dia da Consciência Negra a COPIR/SEDUC, Tacape Reggae, FUMBEL e CEDENPA promoveram evento na Praça da República, no dia 24 (domingo) de 2014, para celebrar o dia 20 de novembro. A programação efetivou-se com Ato-show com atrações da cultura reggae e afro-brasileira e a oficina de jogos africanos. As atividades ocorreram no horário das 09h às 14h com a participação do público em geral.
Com o tema: Consciência Negra (Amplie) a Sua, o Profº. Amilton Gonçalves Sá Barretto - Coordenação da COPIR/SEDUC iniciou a programação do dia, convidando a todos os presentes que transitavam pela praça a participarem do evento para mais um momento de confraternização, partilha e reflexão de nossas ações no que concerne as relações étnico-raciais.
Amilton Barretto coord. da COPIR
        

O primeiro instante do evento contou com a apresentação da Escola de Samba Bole-Bole, com a bateria da escola empolgando o público presente com músicas de antigos carnavais proporcionando um espetáculo marcante repleto de alegria e descontração.
Escola de Samba Bole-bole.
Logo na seqüência houve a participação do Grupo de Hip-Hop – Conexão Feminina, do Mc Everton, ambos do Coletivo Senzala Urbana, do DJ Ras Fido e do Mc Bruno B O as músicas apresentadas referenciam a luta pela abolição de toda e qualquer forma de preconceito, seja ele racial, social ou sexual, mostrando a realidade cantada nas letras de rap e na expressão dos elementos que compõe o hip-hop.
Mc Everton
Conexão Feminina

Mc Bruno B O
  Em prosseguimento tivemos as contribuições das expressões afro-descendentes com a Roda de Ogans (representada por várias casas afro-religiosas de Belém), a Banda Axé Dudu do CEDENPA, o Grupo de Carimbó Senta Peia e Tambor de Crioula Filhos amigos de Cururupu do Maranhão, com o som forte dos tambores e cânticos marcando a ancestralidade africana na cultura brasileira.

 







  
Em paralelo houve a Oficina de Jogos Africanos com os alunos da Universidade Federal de Castanhal – GESCED- Grupo de Estudo Sociedade, Cultura e Educação – Programa Universidade no Quilombo, convidados especialmente para interagir com o público infantil presente na praça.
Prof. Assunção Amaral e alunos do GESCED






 O evento foi um sucesso, contagiando o público presente independente da raça, cor ou nacionalidade com muito swing. O encerramento contou com a Banda de Reggae Cana Roots embalando a todos com os clássicos da música regueira.












Fotos de Sanches, Simone, Carla Reis e Maura Fonseca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário